Média de pedidos de impeachment por tempo de governo contra Bolsonaro é a maior da história - BEREU NEWS

Últimas Notícias

Post Top Ad

Anuncie Aqui

8 de junho de 2020

Média de pedidos de impeachment por tempo de governo contra Bolsonaro é a maior da história

[Média de pedidos de impeachment por tempo de governo contra Bolsonaro é a maior da história]

Apesar de a ex-presidente Dilma Rousseff ter sido alvo do maior número absoluto de pedidos de impeachment da história do país, com 68 solicitações, até a saída do governo em agosto de 2016, o atual chefe do executivo, Jair Bolsonaro, tem uma média de pedidos quase três vezes superior à da petista. Isso porque, a cada 12 dias, em média um pedido de impeachment é protocolado contra ele.

Em números absolutos, o 38º presidente da República já recebeu 44 pedidos de impedimento, número superior ao do ex-presidente e atual senador por Alagoas Fernando Collor, que, em quase 2 anos de governo, teve 29 solicitações contra si, o que culminou com a saída da presidência em dezembro de 1992. Isso corresponde a um pedidos de impeachment a cada 34 dias de governo de Collor, enquanto Dilma teve uma solicitação a cada 30 dias.
O pedido número 44 contra Bolsonaro foi protocolado na Câmara dos Deputados no dia 27 de maio por Maria Rodrigues de Sousa e outros interessados e aponta a prática de crimes de responsabilidade ao longo do mandato.
“Apresenta denúncia por crime de responsabilidade em desfavor do Presidente Jair Bolsonaro, por uso ilegal das redes sociais durante sua campanha eleitoral (disparo de mensagens e uso de fake news); ameaças à democracia; ataques à imprensa; soberania em risco; acusações de corrupção; empresa fantasma; abuso de poder do empresário Luciano Hang, dono da Havan; e outros”, diz trecho da denúncia.
Já o primeiro pedido foi aberto em 5 de fevereiro de 2019, apenas 35 após a posse de Bolsonaro na presidência. O autor, Antônio Jocélio da Rocha, alegou prática de crimes de responsabilidade, além de atos de omissão praticados pelo chefe do executivo. O pedido, recebido pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, foi já foi arquivado.
Motivação
O pedido de impeachment de um presidente da República deve ter como justificativa central a prática de um ou mais crimes de responsabilidade. Em 1992, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) investigou ilegalidades do governo Collor, quando foram encontrados indícios de crimes como corrupção passiva e formação de quadrilha.
Já Dilma Rousseff, impedida em 2016, foi alvo de uma denúncia de crime de responsabilidade realizada pelos advogados Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal, aceita por Eduardo Cunha, então presidente da Câmara, ao final de 2015. As acusações giravam em torno do descumprimento das leis orçamentária e de improbidade administrativa, fato que ficou conhecido como “pedaladas fiscais”.
Jair Bolsonaro enfrenta, atualmente, diversas acusações de crimes de responsabilidade: quebra de decoro, tentativa de interferência política na Polícia Federal e apoio à Ditadura Militar. E, em meio à pandemia do novo coronavírus, os pedidos de impeachment também recaem sobre acusações de risco à saúde pública e apoio a manifestações antidemocráticas.
Veja gráfico com os pedidos de impeachment feitos contra presidentes entre 1990 e 2020:

Post Bottom Ad

Anuncie Aqui

Páginas