BEREU NEWS

Contágio, sintomas, transmissão: quais as principais dúvidas sobre o coronavírus

Contágio, sintomas, transmissão: quais as principais dúvidas sobre o coronavírus
O aparecimento de um novo tipo de vírus do agente coronavírus tem chamado a atenção do mundo todo. Os primeiros casos da patologia começaram a surgir em dezembro de 2019, na cidade de Wuhan, na China.
O aparecimento da doença, que já matou mais de 2 mil pessoas na China, deixou o mundo em alerta. o vírus já se espalhou para outros países e há, inclusive, um caso confirmado no Brasil e mais de 130 suspeitos
Mas, afinal, o que é o novo coronavírus e porque ele é tão preocupante? Confira abaixo as principais dúvidas:

O que é o coronavírus?

O novo coronavírus, chamado de COVID-19, pertence a uma família de vírus que causam infecções respiratórias. Os primeiros casos do coronavírus foram registrados ainda na década de 30, mas casos com o novo vírus foram identificados em dezembro em 2019. 
Segundo o Ministério da Saúde, há cinco tipos de agentes da família coronavírus, e alguns podem causar doenças graves com impacto importante em termos de saúde pública, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS).

Como o coronavírus é transmitido?

A disseminação pode acontecer de pessoa para pessoa, ou seja, contato com gotículas respiratórias de quem está infectado, saliva, espirro, tosse, catarro, ou contato com objetos ou superfícies contaminados, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos. 
Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1m) com alguém que tenha o coronavírus está em risco de ser exposta à infecção. Porém, ainda não está claro com que facilidade o vírus se espalha de pessoa para pessoa. 

Quais os sintomas? 

Os sintomas são, principalmente, respiratórios, semelhante a um resfriado comum, como tosse, febre e dificuldade para respirar. O coronavírus também pode causar infecção do trato respiratório inferior, como pneumonias.
Os primeiros sintomas podem levar de 1 a 14 dias para começar a aparecer, desde a infecção, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Como é feito o diagnóstico?

É feito com a coleta de materiais respiratórios. Duas amostras são encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). Para confirmar a doença, é necessário fazer exames de biologia molecular, que vão detectar o RNA do vírus. 

Como é feito o tratamento?

Ainda não existe tratamento específico, no entanto, é indicado repouso, consumo de bastante água, uso de analgésicos e antitérmicos para tratar dor e febre, e Uso de umidificador ou banho quente para auxiliar no alívio da dor de garanta e tosse.

Como se prevenir?

Cuidados básicos como lavar as mãos frequentemente com água e sabão; evitar contato próximo com pessoas doentes; cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar; limpar e desinfetar objetos e superfícies; manter amvientes bem ventilados; não compartilhar objetos de uso pessoal. O uso de álcool gel também é eficaz como meio de prevenção.

Quantos casos já foram confirmados no Brasil?

Até a última quinta (27/2), 132 casos suspeitos estavam sendo monitorados pelo Ministério da Saúde. Um caso já havia sido confirmado na última terça-feira (18), com um homem de 61 anos e morador de São Paulo. Neste sábado (29), o Ministério da Saúde confirmou mais um caso, também com outro morador de São Paulo.
Em quais outros países já foram diagnosticados casos suspeitos do Covid-19?
Alemanha, Austrália, Camboja, China, Coreia do Norte, Coreia do Sul,Emirados Árabes Unidos, Filipinas, França, Irã, Itália, Japão, Malásia, Cingapura, Tailândia e Vietnã. (lista atualizada em 24 de fevereiro)

O vírus é realmente fatal?

Segundo estudo realizado pelo Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças (CCDC), a taxa de mortalidade do Covid-19 é de 2,3%. A maioria das mortes ocorreu com pessoas com mais de 60 anos e/ou com doenças pré-existentes, como hipertensão e diabetes. 
Ainda conforme o estudo, apenas 4,7% dos pacientes desenvolveram sintomas graves, como insuficiência respiratória ou infecção inflamatória sistêmica.

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade 2

BEREU NEWS
BEREU NEWS