Alba aprova medidas para conter gastos; deputados gastaram quase R$ 3 milhões em verbas indenizatórias - BEREU NEWS

Últimas Notícias

Post Top Ad


Post Top Ad

ANUNCIE SUA EMPRESA CONOSCO

18 de abril de 2020

Alba aprova medidas para conter gastos; deputados gastaram quase R$ 3 milhões em verbas indenizatórias



Em reunião virtual, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) aprovou, nesta sexta-feira (17/4), uma série de medidas de contenção de gastos. Vale ressaltar que, entre 17 de março e 17 de abril, deputados baianos consumiram mais de R$ 2,8 milhões em verbas indenizatórias, conforme levantamento. 
A decisão veio após renúncia coletiva - por parte dos 63 deputados da Casa - das emendas impositivas do ano de 2020, no valor de cerca de R$ 150 milhões, para que sejam revertidas em ações de combate ao Covid-19. 
De acordo com o presidente da Alba, o deputado Nelson Leal, o montante do total das emendas dos parlamentares "ficará à disposição" do governo estadual para combater a pandemia. 
EM TEMPO
Após o levantamento feito pelo Aratu On, o Linha de Frente, vinculado ao portal, criou uma petição para que os parlamentares utilizem tais recursos para ajudar afetados pelo novo coronavírus.
O objetivo é questionar os parlamentares, visto que a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) está parcialmente de portas fechadas, devido à pandemia de Covid-19 e, mesmo assim, os deputados continuam utilizando a Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap). Esse recurso é aplicado pra custear os gastos dos deputados exclusivamente vinculados ao exercício da atividade legislativa, como publicidade, consultorias e combustíveis. 
"Enquanto todo o mundo diminui gastos e reduz despesas por causa da crise da Covid-19, a ALBA está alheia ao aperto de cinto e continua custando o mesmo de sempre ao povo", diz o texto. O valor milionário corresponde a quase sete mil cestas básicas, pois o kit, na capital baiana, custa em média R$ 408,06, segundo dados do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
Para assinar a petição, clique aqui.

Nenhum comentário:

Post Top Ad

Anuncie conosco