Projeto Tele Coronavírus é encerrado com mais de 110 mil atendimentos realizados na Bahia - BEREU NEWS

Últimas Notícias

Post Top Ad

Quer alavancar seu empreendimento? Anuncie sua marca aqui

Post Top Ad

ANUNCIE SUA EMPRESA CONOSCO

1 de agosto de 2020

Projeto Tele Coronavírus é encerrado com mais de 110 mil atendimentos realizados na Bahia

Tele coronavírus atende mais de seis mil pessoas gratuitamente ...
O projeto Tele Coronavírus, serviço de auxílio que reuniu estudantes de medicina voluntários para atender pessoas remotamente que tivessem sintomas ou dúvidas a respeito da Covid-19, foi encerrado com mais de 110.679 atendimentos. Em 125 dias de operação, a iniciativa, que funcionava através do Disque 155, foi uma das medidas articuladas pelo Governo do Estado para diminuir o número de pessoas nas ruas e minimizar a quantidade de casos positivos da doença.
De acordo com o governo estadual, além de prestar atendimento e tirar dúvidas por parte de profissionais capacitados, que estão nos últimos períodos acadêmicos do curso de medicina, o Tele Coronavírus também serviu para gerar dados e auxiliar no mapeamento de possíveis novos casos ao redor da Bahia. Cerca de 63% dos atendidos não tiveram necessidade de se deslocar para unidade de saúde, o que reduziu a circulação de pessoas doentes.
Apesar do encerramento do projeto, os serviços de atendimento à população continuam. Conforme a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Adélia Pinheiro, a disponibilidade do atendimento permanece através do aplicativo Monitora Covid-19, em articulação com equipes de profissionais da saúde, que atuam para identificar precocemente casos suspeitos da doença. 
O Tele Coronavírus foi idealizado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o projeto  recebeu apoio do Governo do Estado, através das Secretarias de Saúde (Sesab), de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), do Planejamento (Seplan), de Segurança Pública (SSP), da Administração (Saeb) e da Infraestrutura (Seinfra). Também aderiram à ação as quatro universidades estaduais (Uneb, Uesc, Uefs e Uesb), a Escola Bahiana de Medicina, a FTC Salvador, a Unifacs, a Unime, a UFRB, a UFSB, a Associação Bahiana de Medicina (ABM) e a Fesftech, que foi responsável pelo desenvolvimento de uma plataforma que é alimentada pelos voluntários.

Nenhum comentário:

Post Top Ad

Anuncie conosco