Governo federal diz que Pfizer vai entregar R$ 14 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 até junho


O governo federal informou, nesta segunda-feira (8/3), que a farmacêutica norte-americana Pfizer vai entregar 14 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 ao Brasil, até junho deste ano. Por videoconferência, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) conversou com o presidente da empresa, Albert Bourla, e pediu a antecipação de lotes do imunizante. 

O assessor especial do Ministério da Saúde, Airton Soligo, explicou que o contrato com a Pfizer previa a entrega de 99 milhões de doses, ainda este ano, sendo 2 milhões em maio, 7 milhões em junho e o restante do lote no segundo semestre de 2021. Com o pedido, a empresa se comprometeu a antecipar mais 5 milhões de doses entre maio e junho. Ainda conforme Soligo, também haverá um esforço para antecipar os lotes previstos para o terceiro trimestre do ano. 

Bolsonaro deve se reunir também com representante da Janssen (braço da empresa Johnson & Johnson) para tratar da aquisição de 30 milhões de doses de outra vacina contra o novo coronavírus. Até o final de março, segundo o assessor, mais 31,8 milhões de doses estarão disponíveis: 25 milhões da Coronavac e 6,8 milhões da Covishield. No caso da vacina AstraZeneca/Oxford serão 3,8 milhões produzidas pela Fiocruz e 3 milhões produzidas na Coreia do Sul e entregues pela iniciativa Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Em abril, a previsão é de mais 42 milhões de doses de vacinas, além dos imunizantes Covaxin e Sputnik V, que também estão sendo negociados pelo governo federal. A expectativa é que, nos próximos 60 dias, um milhão de pessoas sejam vacinadas por dia. A partir de maio, passariam a ser, no mínimo, 1,5 milhão de doses diariamente.

Até o momento, somente a vacina da Pfizer teve seu registro definitivo aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem