Conselho de Secretários de Saúde repudia prescrição médica para vacinar crianças contra Covid

Órgão divulgou carta direcionada às crianças do Brasil


O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) se manifestou, em uma carta de Natal direcionada às crianças brasileiras, contra o anúncio feito pelo Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, nesta sexta-feira (24). O líder da pasta afirmou que será exigida uma prescrição médica para a imunização das pessoas entre 5 e 11 anos, além da autorização dos pais.


Assinado pelo presidente do conselho, o secretário Carlos Lula (do Maranhão), o texto diz: "quando iniciarmos a vacinação de nossas crianças, avisem aos papais e às mamães: não será necessário nenhum documento médico recomendando que tomem a vacina", diz o texto contrapondo-se ao anúncio da pasta federal.


A carta ainda ataca a postura do ministério que tem dificultado o início do processo de imunização infantil contra Covid-19. “Infelizmente há quem ache natural perder a vida de vocês pequeninos, para o coronavírus. Mas com o Zé Gotinha já vencemos a poliomielite, o sarampo e mais de 20 doenças imunopreveníveis. Por isso, no lugar de dificultar, a gente procura facilitar a imunização de todos os brasileiros”, diz a carta em crítica a uma possível exigência de prescrição médica.  “A ciência vencerá. A fraternidade vencerá. A medicina vencerá e vocês estarão protegidos”, completa outro trecho do texto dirigido ás crianças.


A vacinação infantil é alvo de consulta pública que apresentou instabilidades horas depois de entrar no ar. Uma decisão deve ser anunciada pelo Ministério da Saúde no próximo dia 5 de janeiro.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem