Eunápolis: Casa de prefeita é alagada e gestora aponta "colapso" após chuvas


Cordélia Torres revela que 70% das casas foram atingidas em Eunápolis

A prefeitura de Eunápolis, Cordélia Torres (DEM), aponta que a situação "é tensa" no município diante das fortes chuvas que atingem a região desde o último dia 27 de novembro. A situação se agravou nas últimas horas e, segundo ela, 70% das casas já foram atingidas - seja por enchente, destelhamento ou quedas de árvores.

"Temos rio transbordando, casas destelhadas, o volume de chuvas para o mês indo em horas, pontes destruídas. Um colapso. Temos pessoas desalojadas, desmoronamento de barrancos. [...] A gente tem as estradas, feiras sendo tomadas e destruídas. Córrego transbordando. É uma destruição que eu nunca vi", lamentou. 

 

A gestora ressalta ainda que "todas as ruas de Eunápolis foram atingidas, todos os bairros, uns mais atingidos e outros menos". "Desde a periferia aos bairros mais nobres. [...] 70% das casas foram atingidas. Temos 70 mil casas em Eunápolis. Temos um município com 30 mil pessoas em situação de extrema pobreza. São pessoas humildes, que não conseguem reinvidicar seus direitos".

A própria casa da gestora foi atingida pelo mau tempo. "Minha casa entrou água. Se eu falo de mim, imagina as pessoas que não tem as suas casas estruturadas".


A gestora critica ainda o serviço da Embasa. "A Embasa não está correspondendo em nada. Como ela sai abrindo valas para fazer a sua encanação, deixa abertas. Postes caindo. Bombas de água foram levadas dessas casas simples", aponta.

Ela informa ainda que o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil aprovou o envio de R$ 1.850.820,00 para compra de água mineral, já que a Embasa suspendeu o abastecimento diante dos danos causados. Os insumos serão enviados para, entre outros lugares, o Hospital Regional de Eunápolis, Hospital de Campanha e Clínica Santa Cruz.


"O Governo Federal, através do Secretário Nacional da Defesa Civil, Coronel Alexandre Lucas, mandou uma equipe técnica para Eunápolis. Colocamos aqui um gabinete de crise com a força tarefa, com toda a equipe técnica. Agora, por exemplo, vou tentar, através do helicóptero, salvar uma grávida que está em trabalho de parto", relata.

A gestora, que faz oposição ao governador Rui Costa (PT), afirmou que aguarda a gestão estadual enviar ajuda. "O governador da Bahia, até o momento, não entrou em contato conosco. Solicitamos para o Consórcio [do Extremo Sul] entrasse em contato e hoje ele fez uma videochamada com os prefeitos da região. Mas ele disse que até segunda-feira ele está vindo. Esperamos esse auxílio'", ressaltou.


Apesar do desastre, Cordélia afirma que não há vítimas e que a prefeitura está prestando assistencia às famílias. "Graças a Deus ainda não temos mortos ou feridos. A nossa prioridade é salvar vidas e resgatar pessoas. Estamos com a parceira com o Corpo de Bombeiros, que está há três meses após um pedido meu. Se não tivéssemos esse pedido, não sei em que situação estaríamos". 

A reportagem entrou em contato com a Embasa em busca de um posicionamento sobre as críticas da gestora. A estatal enviou um comunicado. Leia abaixo na íntegra:

"A Embasa informa que está adotando todas as medidas possíveis para minimizar os transtornos que a população de Eunápolis está enfrentando com as fortes chuvas. O abastecimento de água no município foi interrompido devido ao impacto da enchente sobre a estação de captação, que ficou totalmente submersa. A empresa já conseguiu novos equipamentos para repor os que foram danificados com a inundação da estação, e fará essa substituição assim que a água baixar, buscando a retomada da operação do sistema no menor prazo possível.

Hoje (10), a Embasa forneceu água para dois carros-pipa da prefeitura, que foram direcionados para abastecer hospitais. Amanhã (11), a empresa irá colocar em operação mais dois carros-pipa, para abastecer órgãos públicos e a população em geral. Mais quatro carros-pipa devem chegar durante o dia de amanhã e serão colocados em operação com a maior brevidade possível. A empresa está buscando a contratação de mais veículos nos próximos dias, com esse mesmo objetivo.

Com relação à existência de valas, a Embasa não possui nenhuma obra em andamento no município com potencial de causar o agravamento dos efeitos da enchente, que é originada pelo nível muito alto de água no rio Buranhém".

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem