Jovem encontrado com barriga aberta em Guarapari foi alvo de ação criminosa, diz advogado

 Caso chamou a atenção dos internautas nesta segunda-feira

Parece que o mistério chegou ao fim. De acordo com um advogado da família do jovem de 20 anos encontrado com a "barriga aberta" em uma praia de Guarapari, no Espírito Santo, o rapz foi vítima de "ação criminosa e violenta praticada por terceiros", garantindo que a garota que estava com ele não seria a autora do corte.


As informações foram divulgadas na tarde desta segunda-feira (31) por meio de uma nota enviada pelo advogado das famílias, Lécio Machado. No texto, os familiares dizem que os autores do crime ainda são desconhecidos. A pedido das famílias, a identidade dos jovens não será revelada. 



O caso aconteceu no dia 16 de janeiro, mas neste fim de semana ganhou as redes sociais, sendo um dos assuntos mais comentados desde o domingo (30).


Entenda o caso

De acordo com a polícia local, o rapaz de fato estava com uma garota na Praia do Ermitão. O casal faria uma despedida, uma vez que o jovem iria para os Estados Unidos. As últimas imagens registradas no local mostram o casal entrando no parque municipal Morro da Pescaria.


Nas imagens seguintes o jovem já aparece com o corte. Na areia da praia a Polícia Militar encontrou o que supostamente seria a outra parte do intestino do rapaz. O material foi recolhido e levado para o Departamento Médico Legal (DML).


O casal de jovens ainda não foi ouvido pela Polícia Civil, o que deve acontecer esta semana. 


Até o momento, segundo a nota da polícia, "não há como afirmar que a mulher esteja envolvida nos fatos". Foi informado ainda que "nenhum suspeito foi detido e que detalhes da investigação não serão divulgados, por enquanto", segundo a nota da Polícia Civil.


O rapaz segue internado no Vitória Apart Hospital. O hospital informou, por meio de nota enviada ao jornal Gazeta, que "o paciente em questão está internado no hospital desde o dia 16 de janeiro, depois de passar por atendimento prévio em outra unidade. Ele segue internado, mas o hospital não tem autorização para fornecer informações clínicas e de seu estado de saúde”.



Também por nota, a Polícia Militar informou que recebeu informações de que na Praia do Ermitão, localizada ao final da Praia do Morro, teria pertences dos envolvidos em uma tentativa de homicídio por arma branca, que ocorreu durante a madrugada.


“Em seguida os militares prosseguiram ao local para verificar os fatos. Após percorrerem uma trilha de aproximadamente um quilômetro, os militares visualizaram sangue na areia da praia, garrafas quebradas, e pedaços de órgãos da vítima”, diz a nota.



"Sendo assim, a guarnição fez contato com a Polícia Civil relatando sobre o ocorrido, para conhecimento e providências cabíveis. A vítima deu entrada no hospital Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE), antigo São Lucas. A situação foi informada a DHPP”,diz a nota da Polícia Militar.


Íntegra da nota da família

"Considerando a grande repercussão social e o elevado número de especulações fantasiosas lamentavelmente divulgadas sobre o triste fato ocorrido com um jovem casal, no último dia 16 de janeiro de 2022, na Praia do Ermitão, no município de Guarapari-ES, as famílias envolvidas no caso resolveram em conjunto vir a público, através do seu advogado, Dr. Lécio Machado, sócio do escritório Silveira, Garcia & Machado Advocacia Especializada, para esclarecer que os seus filhos foram vítimas de uma ação criminosa e violenta praticada por terceiros ainda desconhecidos, durante um lual que realizavam à dois naquela data e localidade.


Compreensivelmente, as famílias dos jovens, em comum acordo, preferiram manter, até o momento, os fatos sob sigilo, com o único objetivo de preservar a identidade das vítimas e garantir à elas um ambiente adequado para a necessária recomposição emocional e física, dado que inegavelmente sofreram demasiada violência física e psicológica ao serem vítimas do crime, agora tornado público.


O casal tem recebido todo o atendimento médico-hospitalar necessário e encontra-se em pleno processo de recuperação. Confiamos nas investigações promovidas pela 5ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Guarapari e esperamos que os responsáveis pelo crime sejam encontrados e punidos".

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem