Header Ads

ACM Neto e João Leão mostram força em anúncio de aliança

Líderes do União Brasil e do PP anunciam acordo político na Bahia


Foi “o maior bonitão da Bahia” para cá, seguido de “já tinha dois filhos e agora ganhei um neto” de lá e sem o menor esforço para disfarçar as expectativas, que o ex-prefeito de Salvador e pré-candidato ao governo da Bahia, ACM Neto (União Brasil) e o vice-governador da Bahia, João Leão (PP) anunciaram que marcharão juntos na disputa eleitoral deste ano. Além disso, os dois oficializaram a presença de Leão na chapa majoritária como candidato ao Senado Federal. 


Numa clara demonstração de força política e unidade, os dois concederam uma entrevista coletiva ontem no Hotel Fiesta, cercados de aliados na Câmara dos Deputados, Assembleia Legislativa e prefeitos, com destaque para o de Salvador, Bruno Reis, e o de Jequié, Zé Cocá, que é também presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB). A união entre as duas forças políticas já era dada como certa nos bastidores, mas Neto fez questão de, nas suas palavras, “celebrar” a chegada do novo aliado. 


O vice-governador evitou polemizar a respeito do desembarque do PP da base de apoio ao governo do estado e fez questão de dizer que não tem nada pessoal contra o senador Jaques Wagner (PT), que anunciou pelo rádio mudanças na composição da chapa para a próxima eleição. Ainda assim, Leão, quando perguntado, disse que se sentiu desrespeitado pela atitude. Confirmou que esteve com o antigo aliado dois dias antes do assunto e que nada foi conversado.


“Faltou respeito e o vídeo em que ele pediu desculpas demonstrou amadorismo na política e foi a gota d’água”, reconheceu. “Se tudo tivesse sido conversado antes? Eu não sei, mas sempre fui do diálogo”. 


Para ele, tudo isso era passado e ontem era momento de tratar do futuro. “Lembrei de uma música”, começou Leão, antes de puxar o icônico “você se lembra de mim”, coro imortalizado nas campanhas do senador ACM. Num discurso emocional, falou das origens sertanejas e prometeu trabalhar junto com Neto para tirar do papel projetos econômicos importantes para a Bahia. “A Bahia terá um governador da zorra e eu serei um senador para dizer, ‘meu Neto vai em frente’”, avisou Leão. 


O vice-governador se mostrou tão confiante na vitória dele e de ACM Neto que chegou a brincar com o ex-governador Paulo Souto e o ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo. Foram eles os candidatos do antigo DEM, agora União Brasil, nas duas últimas eleições, quando Leão disputou como vice.


“Paulo Souto,  Zé Ronaldo, se preparem que nós vamos dar o troco agora. É hora da vitória”, disse, arrancando risos e aplausos dos presentes. “E digo mais, Neto vencerá em primeiro turno, com a maior votação que um governador já teve neste estado”, projetou. 


Para Neto, o ato de ontem vai ficar registrado como um divisor de águas na política baiana. “Estamos tornando público um pacto que definir o futuro da Bahia”, destacou. Ele ressaltou a importância da aliança para os dois grupos, não apenas por encorpar a sua chapa eleitoral, como também por estabelecer condições de uma forte base de apoio no legislativo estadual e federal da Bahia a partir do ano que vem. “Cada voto que pedir para mim será também para João Leão no Senado, queremos uma vitória completa. Esta aliança foi feita com grandeza, sonhos e propósitos”, disse. 


“Já começaremos o governo com uma bancada muito forte no legislativo, que é imprescindível para aprovar projetos”, projetou Neto. 


Novas conversas

O ex-prefeito projetou o dia 2 de abril como prazo para estar com a sua chapa completa, com a definição do pré-candidato a vice-governador e com os nomes que ocuparam a suplência na vaga para o Senado. Em relação à composição do restante da sua chapa, ACM Neto ressaltou que irá definir “sem pressa” o restante dos nomes que estarão ao seu lado na disputa eleitoral.


“Já disse antes que não tenho pressa, quem tem que correr é quem está no governo”, disse. “Vamos apresentar quando a discussão estiver madura. Já estamos dando um grande passo com esta aliança”. 


Os dois líderes políticos foram questionados sobre os efeitos da aliança nos rumos da campanha. Neto rechaçou qualquer tipo de mal estar em criticar, ou em elogiar, o governo por conta do nosso aliado. Segundo Neto, antes mesmo do ingresso de João Leão e do PP ele já estava decidido a reconhecer os bons feitos dos 16 anos de gestão petista e apontar o que pode mudar para melhor. “Com a vinda de Leão, vamos agregar renovação com experiência e vamos trabalhar para tirarmos do papel projetos que são sonhos antigos e ainda não se concretizaram”, avisou.  


Leão foi questionado a respeito de um possível assédio a quadros do PP para permanecerem na base de apoio ao governo e não se mostrou preocupado com o assunto. “Política é cheiro e aqui tem cheiro de vitória. Podem procurar os parlamentares e prefeitos do PP, mas o que nós iremos ver em agosto será um estouro de boiada vindo de lá para cá”, apontou. “E eu digo mais, vamos ter muitos prefeitos do PT também aqui conosco porque o povo vai sentir o cheiro e vai vir todo mundo para cá”, projetou. 


Neto evitou falar sobre o seu provável adversário na disputa pelo estado, o atual secretário de Educação Jerônimo Rodrigues, mas avisou que vai manter o tema como central em sua campanha. “Me sinto muito à vontade para falar sobre os desafios da educação porque já me posicionei sobre isso antes de saber quem seria o pré-candidato de lá”, avisou. Segundo o ex-prefeito, as críticas serão direcionadas à situação. “Posso dizer que no meu governo a educação será prioridade absoluta, mas não porque o futuro candidato será o atual secretário”, rechaçou. 


Cenário nacional

Leão e Neto confirmaram o acordo para o vice-governador e os membros do PP apoiarem quem quiserem na eleição presidencial. Leão afirmou que pretende apoiar o ex-presidente Lula (PT) e disse que pretende conversar com ele sobre o assunto.


“A primeira coisa que eu disse a Neto foi que eu tenho uma vontade grande de apoiar Lula. Agora, na vida política, você apoia quem quer ser apoiado. Se ele quiser, terá que me dizer”, destacou.


O vice-governador ressaltou o carinho que tem pelo ex-presidente, de quem chegou a ser líder na Câmara dos Deputados.  


]Neto voltou a dizer que não tem intenção em se envolver na disputa nacional. Segundo ele, o seu partido, o União Brasil, tratará do assunto a partir do dia 2 de abril, depois que as questões estaduais estiverem alinhas. Mas ainda assim ele, particularmente, manterá o foco na disputa pelo governo da Bahia.


“Nosso foco, nossa causa e nosso propósito é a Bahia. Como não tenho bola de cristal, não sabemos quem será o próximo presidente da República, mas estou pronto para trabalhar com qualquer um deles”, garantiu.


O ex-prefeito se comprometeu a adotar uma postura semelhante à que teve quando esteve à frente de Salvador. “Fui prefeito por oito anos, foram três presidentes e dois governadores, todos de partidos diferentes do meu, e sempre me relacionei bem com todos eles”, disse.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.