Instagram será bloqueado na Rússia a partir de segunda-feira (14)



A partir da próxima segunda-feira (14) a plataforma Instagram estará restrita na Rússia. Com mais de 80 milhões de usuários, a decisão do governo russo é em retaliação à postura política da empresa Meta que controla o Instagram, Facebook e WhatsApp.

O anúncio do bloqueio do Instagram foi feito pelo Roskomnadzor, órgão que controla mídia e telecomunicações na Rússia. A decisão foi motivada por uma mudança temporária nas regras da plataforma, nessa sexta-feira (11), para permitir que os usuários possam defender atos de violência contra a Rússia no contexto da Guerra na Ucrânia.

De acordo com o portal G1, o governo Putin reclamou que "estão circulando mensagens na rede social Instagram incentivando e provocando atos violentos contra os russos" e que, por isso, restringiria a rede social. A Procuradoria-Geral russa pediu ainda que a gigante da internet seja classificada como uma organização "extremista".

A decisão de bloqueio da rede social na Rússia deve ter impactos que vão além da disputa entre o governo russo e a companhia americana, já que o aplicativo é bastante popular no país.

Os russos, usuários da rede social, têm 48 horas para transferirem fotos, vídeos do Instagram para o Facebook. O mesmo prazo serve também para comunicarem a amigos e clientes sobre a mudança de aplicativo a ser permitido o uso no País. Para o diretor do Instagram, Adam Mosseri, "essa decisão cortará 80 milhões na Rússia uns dos outros e do resto do mundo, já que cerca de 80% das pessoas na Rússia seguem uma conta do Instagram fora de seu país. Isto está errado", afirmou.

A decisão do governo russo prejudicará também os usuários que usam o aplicativo como fonte de renda para divulgar produtos ou serviços. A empresa Meta também sairá prejudicada com o bloqueio já que a Rússia é o quinto maior mercado do Instagram, atrás apenas de Estados Unidos, Índia, Brasil e Indonésia, respectivamente.

 “O fato é que, se aplicássemos nossa política padrão de conteúdo sem qualquer ajuste, nós estaríamos removendo conteúdo de cidadãos ucranianos comuns expressando sua resistência e fúria contra as forças invasoras”, disse, em nota, o vice-presidente de assuntos globais da Meta, Nick Clegg. No texto do comunicado, a companhia diz não ter nada contra o povo russo e que a plataforma “não vai tolerar russofobia ou qualquer tipo de discriminação, abuso ou violência direcionada aos russos”.

Além do Instagram que será bloqueado, os aplicativos Facebook, Twitter seguem com restruições na Rússia desde o último dia 4. Por enquanto, ainda não há informações sobre restrições ao WhatsApp no país.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem