Morador de rua espancado por personal após traição é recebido em abrigo

O homem de 48 anos esteve sete dias no Hospital Regional de Planaltina (HRP)

O morador de rua espancado por um personal trainer em Planatina, no Distrito Federal, foi acolhido pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Distrito Federal e recebido em um abrigo nesta quinta-feira (17). O homem esteve por sete dias Hospital Regional de Planaltina (HRP) após as agressões.


Segundo informações do O Globo, o homem já havia recebido alta, mas continuou na unidade de saúde por temer voltar às ruas.


"Conseguimos o nome completo dele, passamos para a Secretaria de Desenvolvimento Social e eles iniciaram o atendimento hoje (nesta quinta-feira). Agora, estão fazendo o atendimento socioassistencial dele", disse o secretário da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Gabriel Elias, que concorda com o risco de novas violências ocorrerem com o homem de 48 anos, que teve sua identidade preservada.


Tudo sobre o 'Caso Personal':

Abuso ou relação consensual? 

Em depoimento prestado à Polícia Civil, o homem em situação de rua negou que tivesse estuprado a esposa de Eduardo Alves, de 31 anos. Às autoridades, ele garantiu que o convite para o ato sexual partiu da mulher e que ele apenas concordou.


A versão do estupro tem sido sustentada pelo personal. De acordo com ele, a mulher "sofreu violência sexual" pois estava "fora da sanidade". A moça, no entanto, já admitiu em áudios e em depoimento que o sexo foi consensual.


Já o sem-teto, de 48 anos, contou que a mulher parou o carro ao lado dele e intimou: "vamos brincar?". Ao ouvir o convite, o homem entrou no automóvel e deu início ao ato.


Durante as relações sexuais, enquanto estava nu, Eduardo invadiu o veículo e começou uma briga com o homem. O sem-teto afirma que não conhecia a esposa do personal e que não sabia que ela era casada.


'Preocupado com a saúde'

O personal voltou a se manifestar nesta quarta-feira (16) em vídeo onde afirmou estar preocupado com a saúde da mulher. Eduardo pediu que as pessoas parem de compartilhar "conteúdo ofensivo contra a honra da esposa".


"Vejo que os fatos têm sido transmitidos de maneira errônea, sendo que, no momento, a preocupação deveria ser a saúde dela, até porque a mesma encontra-se internada", diz o personal trainer.


Eduardo pediu ainda que as pessoas tenham empatia com a situação delicada. Ele reforçou que a vítima "sofreu violência sexual por um morador de rua".


'Enxerguei Deus'

A esposa de um personal trainer que foi flagrada traindo-o com um morador de rua em Planatina, no Distrito Federal, afirmou a polícia que a relação foi consensual. Em áudios obtidos pela TV Globo, a esposa disse que viu as “imagens do marido e de Deus” no rosto do homem e por isso fez sexo.


Ao Portal G1, a mulher falou que foi abordada pelo sem-teto, que pedia dinheiro. Como ela não tinha, ele pediu para ver a bíblia que a moça havia ganhado do marido.


Logo depois, o 'mendigo' pediu um abraço e os dois entraram no carro e trocaram caricias. Após isso, os dois se encontraram em um local combinado e tiveram práticas sexuais.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem