Traficantes acusam casal de idosos de 'x-9' e o julgam à morte em Itaparica


A família do pescador Paulo de Souza Rodrigues, de 65 anos, e da mulher dele, Magnólia da Silva, 55, ainda está chocada com a tragédia. Os dois foram mortos após traficantes terem invadido e incendiado a casa deles na madrugada desta terça-feira (29), na Ilha de Itaparica. Os parentes ficaram ainda mais perplexos pela motivação: os criminosos acreditavam que o casal era 'x-9', expressão usada por bandidos para definir e julgar à morte pessoas que passam informações das comunidades à polícia. 


"Moradores da região ouviram os bandidos gritando antes de invadirem a casa: 'X-9, X-9'. Depois de tudo, eles foram embora repetindo: 'x-9, x-9'", declarou o delegado Marcelo Paiva , da 24ª Delegacia (Vera Cruz). Paulo morreu carbonizado, e Magnólia chegou a ser socorrida ao Hospital Geral de Itaparica (HGI). No entanto, ela teve queimaduras de terceiro grau e não resistiu.


O delegado conversou com os parentes das vítimas. "Disseram que o casal não tem parentes policiais, não andava na companhia de ninguém, que era bem tranquilo, que não reclamava de nada. O que aconteceu, acredito, é o que eles [traficantes] fizeram o que costumam fazer: acham que alguém é 'x-9' e vão lá e matam pelo simples prazer de matar", declarou o delegado. 


Levando em consideração os relatos dos parentes, que negaram que as vítimas fossem informantes da polícia, Paiva destacou outra hipótese. "Acho que eles [traficantes] se confundiram. Erraram o alvo", acrescentou o delegado. A casa invadida e queimada está localizada em Barra do Pote. A polícia já sabe que pelo menos quatro homens participaram da ação. "Eles não estavam encapuzados. Mas as pessoas que foram ouvidas até agora disseram que não conheciam os quatro", disse o delegado.


Ataque 

O ataque aos idosos aconteceu nos primeiros minutos da madrugada desta terça-feira. As vítimas foram acordadas pelos bandidos. "Chegaram xingando com paus e pedras e arrancaram o casal da cama e começaram o espancamento. As vítimas não tiveram chance nenhuma de defesa", disse o delegado. 


Ele contou que Magnólia conseguiu fugir para a casa do filho, que fica ao lado. Dentro do imóvel estavam também a nora dela, que está grávida, e os quatro netos pequenos. Já o filho de Magnólia saiu para chamar a polícia. Nesse momento, a residência dos idosos já estava tomada pelas chamas, e o pescador, morto. 


Em seguida, os criminosos invadiram a segunda casa e tornaram a espancar Magnólia, que já estava bastante machucada. Eles atacaram também a nora e um dos netos da idosa. Quando o filho chegou com a polícia, os criminosos já tinham fugido. As vítimas foram socorridas, mas Magnólia não resistiu aos ferimentos. Já a nora levou 30 pontos na cabeça e teve alta nesta tarde, junto com o filho, que teve ferimentos leves. A família se mudou às pressas do local. 

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem