Escola de samba faz Bolsonaro tomar vacina e virar jacaré

Crítica política da Rosas de Ouro remete à fala do presidente sobre vacina contra a covid-19


No último dia de desfiles na Sapucaí, que aconteceu entre a noite de sábado e madrugada deste domingo, 24, a escola de samba Rosas de Ouro fez uma crítica a Jair Bolsonaro (PL) através de um personagem alusivo ao presidente da República. 


Em um dos carros alegóricos, o personagem, que usava a faixa presidencial, aparece recebendo uma vacina de uma personagem alusiva a uma enfermeira. Após aplicada a vacina fictícia, o personagem de Bolsonaro muda de cenário e dá lugar a um personagem em forma de jacaré.

Em dezembro de 2020, antes do começo da vacinação contra a covid-19 no Brasil, Jair Bolsonaro fez críticas à farmacêutica Pfizer, que produz um dos imunizantes contra a doença, e colocou em dúvida a segurança das vacinas.  “Lá no contrato, está bem claro, ‘nós [Pfizer] não nos responsabilizamos por qualquer efeito colateral’. Se você virar um jacaré, é problema seu”.

 

Durante a CPI da Covid, em 2021, o Governo Bolsonaro foi acusado de ignorar e-mails da Pfizer por três meses. Em julho de 2021, Bolsonaro disse que sua fala sobre a vacinação contra a covid-19 foi uma hipérbole. “Podia virar bambi também, hipopótamo, elefante”, se defendeu na ocasião.

 

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem