Header Ads

Mototaxista que esquivou de tiro durante assalto disse que suspeito fingiu ser cliente: 'Deus me deu uma segunda chance'

Suspeito deu tiro na direção da cabeça da vítima, que só não foi atingida porque se abaixou. 

 

 Mototaxista esquiva de disparo após suspeito atirar contra ele durante assalto em Salvador — Foto: Reprodução/TV Bahia

 

O mototaxista que se esquivou de um tiro na Rua Manoel Drumond, no bairro da Caixa D’água, em Salvador, durante um assalto, contou que o suspeito fingiu ser cliente e chegou a fazer uma corrida, antes de cometer o crime.

O caso aconteceu na tarde de segunda-feira (25) e, até a manhã desta quarta (27), o suspeito ainda não havia sido identificado e preso. A vítima preferiu não se identificar, por medo de represálias. O trabalhador contou que chegou a procurar viaturas da polícia, mas não encontrou nenhuma.

 

 

“Ele chegou aqui no ponto e pediu uma corrida, pediu para eu deixar ele no Largo do Tamarineiro. Quando eu cheguei, ele falou bem assim: ‘desce aqui a pista e você para na entrada da ladeira’. Quando eu parei na entrada da ladeira, ele disse: ‘perdeu, se saia’". 

"Eu falei: ‘rapaz, como eu vou te dar minha moto?’, Aí ele: ‘nada, perdeu. Se saia, me dá o celular e suba correndo’. Eu falei: ‘não, não vou te dar minha moto, que eu ainda estou devendo parcela’. Aí ele deu um disparo".

 

Depois do primeiro disparo, o mototaxista chegou a entrar em luta corporal com o suspeito, que deu outros dois tiros.

"Quando ele deu esse disparo, eu dei um murro nele. Ele caiu, levantou e deu outro disparo. Aí eu fiquei em luta com ele, depois ele deu outro disparo e subiu correndo a ladeira".

"Ainda rodei lá em cima, mas não achei nada, nenhuma viatura para falar que o cara tentou me roubar. Ele saiu correndo na principal e ninguém falou nada. Não apareceu ninguém. Eu achei que Deus me deu uma segunda chance".

 

Morador registrou caso

Um morador do local registrou toda a situação. As imagens mostram o momento em que o suspeito abordou o mototaxista, que reagiu ao receber voz de assalto. Em seguida, o suspeito atirou contra o trabalhador, que se abaixou e conseguiu escapar ileso.

O assaltante então fugiu do local rapidamente e a vítima gritou: ‘pega ladrão, está me roubando aqui, pega ladrão’. Sem se identificar, também por medo de represálias, um dos moradores comentou a situação. 

 

“Aqui se rouba 5h30 da manhã, aqui se rouba o horário que eu subo, de 7h30 a 8h da manhã. Aqui se rouba o horário que eu desço, que foi esse horário que eu tinha acabado de chegar em casa, quando começou esse corre-corre do rapaz e o tiro. Eu tinha acabado de subir as escadas de casa, quando começou o tiroteio. Aqui não tem horário [para os assaltos], precisa realmente de um monitoramento. Pelo menos nesses horários, e à noite também”, disse.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.