OMS declara emergência de saúde global para varíola dos macacos

OMS declara emergência de saúde global para varíola dos macacos

 

Não bastasse a pandemia da Covid-19, o mundo terá que se preocupar ainda mais com outra doença: a varíola dos macacos. Isto porque, a  Organização Mundial da Saúde (OMS), que há pouco mais de dois meses alegava não ter preocupação com o cenário, voltou atrás e declarou, neste sábado (23/7), que a doença agora é considerada uma emergência de saúde pública global.

 

“Acreditamos que isso possa mobilizar o mundo a agir em conjunto. Precisamos de coordenação e solidariedade para que sejamos capazes de controlar a varíola dos macacos”, afirmou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, em uma coletiva de imprensa em Genebra.

“Com as ferramentas que temos agora, nós podemos controlar esse surto e parar a transmissão”, acrescentou.

 

 

Em seu pronunciamento, Tedros explicou que são considerados cinco elementos para a tomada de decisão se um surto constitui uma emergência global. “Primeiro, as informações fornecidas pelos países – que neste caso mostram que esse vírus [varíola dos macacos] se espalhou rapidamente para muitos países que não o viram antes”, disse o diretor da OMS.

 

Em segundo lugar, ele cita que foram atendidos os critérios do Regulamento Sanitário Internacional – uma norma jurídica que a OMS segue. BRASIL Após quarenta e quatro dias do primeiro caso de monkeypox, a varíola dos macacos, o Brasil já soma 607 casos, de acordo com dados do Ministério da Saúde. 

A maior parte deles, 438, estão no estado de São Paulo. Entre os casos registrados, 86 são do Rio de Janeiro, 33 de Minas Gerais, 12 do Distrito Federal, 10 do Paraná, 8 de Goiás, 5 da Bahia, 2 do Ceará, 3 do Rio Grande do Sul, 2 do Rio Grande do Norte, 2 no Espírito Santo, 3 em Pernambuco, 1 em Mato Grosso do Sul e 1 em Santa Catarina.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem