Daniel Alves muda versão e diz que fez sexo com mulher que o acusa de estupro

Jogador afirma que relação foi consensual, depois de negar conhecê-la


O jogador Daniel Alves, de 39 anos, que foi preso preventivamente nessa sexta-feira (20), mudou sua versão sobre a denúncia de agressão sexual cometida contra uma mulher em uma casa noturna de Barcelona, na Espanha.

O lateral brasileiro negou qualquer tipo de crime e, inicialmente, disse que nem conhecia a mulher de 23 anos.

Mas, segundo a imprensa espanhola, Daniel Alves declarou, durante o depoimento à Justiça, que houve relação sexual, mas que teria sido "consensual".

O caso aconteceu no dia 30 de dezembro de 2022. 

Denúncia

Após a confirmação da prisão preventiva do jogador Daniel Alves, o jornal catalão El Periódico publicou reportagem com detalhes do depoimento da mulher que disse ter sido vítima de violência sexual. 

Ela relatou que estava com duas amigas na casa noturna quando foram convidadas por um garçom a ir para a área VIP, a pedido de um cliente.

Inicialmente, elas negaram o convite. O garçom voltou a convidá-las num outro momento e elas aceitaram.

Chegando na área VIP, elas encontraram dois homens e duas mulheres (que saíram logo quando as três chegaram) numa mesa.

Um dos homens teria se identificado como "Dani". Segundo a vítima, durante a conversa, Daniel Alves teria pegado a mão da vítima e colocado em seu pênis. Posteriormente, ele teria convidado a mulher para segui-lo por uma porta.

A equipe de segurança da casa noturna acionou a polícia catalã, que colheu depoimento da vítima. Ela também passou por exame médico em um hospital. Daniel Alves foi embora do local antes da chegada dos policiais.

A mulher só foi saber que era um banheiro quando entrou, e logo quis sair. Lá dentro, segundo a vítima, o jogador a trancou no banheiro e a obrigou a fazer sexo oral nele, o que ela negou.

Antes de conseguir sair do banheiro, a vítima também teria sido agredida fisicamente pelo jogador, como relatou no depoimento.

Preso em Barcelona

Em contato com o Estadão, a assessoria de Daniel Alves afirmou que ele estava na Espanha para o velório da sogra, mãe da modelo espanhola Joana Sanz, com quem é casado desde 2017, e aproveitou a estada no país para prestar depoimento à polícia de forma voluntária.

Daniel Alves deu sua versão sobre o caso sem a presença de advogados e voltaria para o México no sábado, dia 21. Agora, deve permanecer preso até o julgamento.

O Ministério Público pediu a prisão preventiva do atleta de 39 anos, sem direito a fiança, e a titular do Juizado de Instrução 15 de Barcelona acatou o pedido, ordenando a prisão.

A prisão preventiva ordenada pela juíza espanhola causou estranhamento em pessoas próximas ao jogador, que consideram ter havido algum problema durante o depoimento à polícia. O empresário do atleta está a caminho da Espanha para conversar com os advogados do lateral.

Jogador negou

Daniel Alves negou as acusações. Em entrevista recente, o brasileiro disse:

"Primeiramente, gostaria de desmentir tudo. Eu estive nesse lugar (casa noturna), com mais gente, aproveitando. Todo mundo que me conhece sabe que eu adoro dançar. Eu estava aproveitando, mas sem invadir o espaço dos demais. Sempre respeitando o entorno", afirmou Daniel Alves em entrevista ao programa Y Ahora Sonsoles, do canal espanhol Antena 3.


Reportagem originalmente publicada em JC Online

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.