Após autorização para jogar no Operário, goleiro Bruno é negado por torcedores - BEREU NEWS

Últimas Notícias

Post Top Ad

Anuncie Aqui

22 de janeiro de 2020

Após autorização para jogar no Operário, goleiro Bruno é negado por torcedores

Goleiro já foi recusado anteriormente por torcedores do Fluminense de Feira


Imagem relacionada

Após receber liberação da Justiça para poder trabalhar no Operário, um grupo de pessoas realizou um protesto contra a possível contratação do goleiro Bruno pelo clube. O protesto ocorreu durante a realização do jogo do Operário contra o Poconé, pelo Campeonato Mato-Grossense. A partida foi realizada em frente ao Estádio Municipal Dito Souza, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. O goleiro, de 35 anos, foi condenado a mais de 20 anos de prisão pelo homicídio de Eliza Samudio.


Os manifestantes, que tocavam tambores, acompanhados de um carro de som, gritavam “quem contrata um feminicida, apóia o feminicídio”. Segundo Glaucia Amaral, procuradora do estado e presidente do Conselho Estadual da Mulher, o ato não era contra a ressocialização de Bruno, mas contra o seu retorno com ‘status’ de ídolo, e ainda declara que outras intervenções serão feitas.

O vice-presidente da torcida organizada do Operário disse que não iria se declarar sobre o assunto, mas que apoiaria o clube independente de quem vista a camisa.

Além de parte dos torcedores, dois patrocinadores, Sicredi e Eletromóveis Martinello, também não apoiaram a possível contratação e não permitiram que suas marcas fossem utilizadas nos uniformes do clube.

Em nota, a Martinello declara que não é seu papel ou direito intervir em decisões do clube, mas não permitirá que o Operário utilize uniformes com a marca enquanto o clube mantiver a decisão de contratar o goleiro.

O Núcleo Feminino da Força Jovem Operário também mostrou insatisfação e emitiu uma nota dizendo que “aceitar a contratação dele de forma tranqüila é naturalizar e ser conivente com as opressões que lutamos. No Brasil, uma mulher é morta a cada duas horas vítima de violência.”

O Conselho Estadual de Direitos da Mulher de Mato Grosso também se manifestou em nota anteriormente, repudiando a contratação do ex-Flamengo. Bruno recebeu uma proposta do Fluminense de Feira, que desistiu da contratação após insatisfação de torcedores. Logo após, o goleiro recebeu uma oportunidade do Operário.

Post Bottom Ad

Anuncie Aqui

Páginas