Canais do governo registram mais de 105 mil denúncias de violência contra mulher em 2020; saiba como denunciar


O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos anunciou, neste domingo (7/3), que o governo recebeu 105.821 denúncias de violência contra a mulher em 2020. Os dados foram informados em coletiva que contou com a participação da ministra Damares Alves.

Segundo a pasta, 72% dessas denúncias foram de violência doméstica e familiar. De acordo com a Lei Maria da Penha, esse tipo de violência é caracterizado pela ação ou omissão que cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico da mulher. Os outros 28% foram registros de violação de direitos civis e políticos, como tráfico de pessoas, cárcere privado e condição análoga à escravidão.

As denúncias de violências contra a mulher em 2020, segundo o Ministério, representam cerca de 30,2% do total de 349.850 denúncias realizadas no Disque 100 e no Ligue 180. 

O Ministério ainda informou que a maioria das vítimas são mulheres declaradas como pardas, de 35 a 39 anos, com renda de até 1 salário mínimo. O perfil mais comum dos suspeitos relatados nas denúncias é de homens brancos de 35 a 39 anos.

O número não pode ser comparado com a base de anos anteriores porque, segundo a pasta, houve uma mudança de metodologia que unificou as centrais de atendimento gratuitas Disque 100 e o Ligue 180, que recebem, respectivamente, denúncias de violações de direitos humanos e de violência contra a mulher.

“Quem não conhece o problema, não propõe solução. É para isso que esse painel vem: para propor solução com base em dados. Chega de fazer políticas públicas com base em achismos”, afirmou a ministra Damares Alves.

O Disque 100 e o Ligue 180 são serviços gratuitos para denúncias de violações de direitos humanos e de violência contra a mulher, respectivamente. Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia pelos serviços, que funcionam 24h por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

Na Bahia, as vítimas de violência podem enviar uma mensagem para o projeto do governo que utiliza inteligência artificial para responder instantaneamente mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, batizado de "Zap Respeita as Mina", no telefone (71) 3117 -2815.

Ao enviar a mensagem, as usuárias poderão pedir ajuda, em caso de emergência. Todo o diálogo acontece por mensagem de texto. Também é possível obter orientações e informações de como fazer uma denúncia, obter uma medida protetiva de urgência, o que fazer em caso de violência sexual, entre outras informações.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem