De máscara, Bolsonaro sanciona lei que permite compra de doses das vacinas da Pfizer e Janssen


O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), sancionou projetos de lei que ampliam a capacidade de aquisição de vacinas pelo governo federal. A cerimônia foi realizada nesta quarta-feira (10/2) no Salão Oeste do Palácio do Planalto e causou estranhamento o fato de todos da equipe presidencial estarem usando máscara - medida de proteção que já foi questionada por Bolsonaro.

Agora, o governo federal poderá efetuar a compra dos imunizantes dos laboratórios Pfizer e Janssen. Na última segunda-feira (8/3), Bolsonaro participou de uma videoconferência com o presidente da Pfizer, Albert Bourla. Na ocasião, segundo a Agência Brasil, ficou acertado o adiantamento de mais cinco milhões de doses da vacina contra a Covid-19 para maio e junho, totalizando 14 milhões de doses.

Além disso, as medidas agora sancionadas liberam que empresas privadas comprem imunizantes contra a Covid-19, mas essas deverão doar as doses ao Sistema Único de Saúde (SUS) enquanto estiver em curso a vacinação de grupos prioritários. O projeto também autoriza o governo a assumir riscos que poderiam resultar em crimes de responsabilidade civil decorrentes de possíveis eventos adversos na população. Esse item era considerado necessário pelo Ministério da Saúde para avaliar a compra de lotes de vacina da Pfizer.
 
“O governo federal não poupou esforços, não economizou recursos para atender a todos os estados e municípios”, declarou Bolsonaro na cerimônia. O Brasil tem registrado, desde a semana passada, quase 2.000 mortes por Covid por dia, e se aproxima das 270 mil mortes desde o início da pandemia.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem