Pastor é obrigado a casar com cadáver após noiva morrer durante aborto forçado por ele - BEREU NEWS

Últimas Notícias

Post Top Ad

ANUNCIE SUA EMPRESA CONOSCO

06 setembro, 2021

Pastor é obrigado a casar com cadáver após noiva morrer durante aborto forçado por ele

Medida foi vista como forma de 'punição' ao religioso


O pastor nigeriano Success Emeka Sunday viu-se obrigado a casar-se com o cadáver de sua noiva após ela morrer por conta de um aborto. Acontece que a gravidez foi interrompida por ordem do religioso, que se recusava a ter um filho naquele momento.


Fundador do Life Transformation Praying Ministry, na cidade de Akwakuma, o reverendo teria drogado sua noiva, Chioma Okoye, de 32 anos, para forçar a saída do feto.


A causa da morte foi descoberta após uma autópsia. O resultado do exame revoltou a família da vítima, que forçou o pastor a se casar com o cadáver, contou o site "Within Nigeria".


História

O namoro dos dois começou há cinco anos e, em 2020, transformou-se em noivado. O problema foi que a gravidez veio antes do planejado. 


O pastor queria anunciar que seria pai só após o casamento. Por isso, quando a jovem engravidou durante o noivado, ele rejeitou a criança, dizendo que a igreja desaprova as crianças nascidas antes do casamento e insistindo que isso prejudicaria a sua reputação.


Okoye, por outro lado, se recusava a interromper a gravidez. Foi quando Sunday a convidou para casa dele. Lá, ele a dopou e, em seguida, a encaminhou para um hospital desmaiada.


Sunday falou para o médico interromper a gravidez. O médico chegou a recusar-se a fazer o procedimento inicialmente, mas, após insistência do pastor, ele topou.


Chioma teve sérias complicações durante o aborto e começou a vomitar sangue. O médico aconselhou o pastor a levá-la a um hospital mais equipado para tratamento posterior. 



Lá o pastor teria registrado noiva com um nome diferente e não informado sua família de que ela estava gravemente doente. A nigeriana morreu na unidade de saúde antes que familiares pudessem intervir.


A família de Chioma descobriu tudo após o resultado da autópsia, que revelou que havia vestígios de uma droga ligada a aborto no sistema sanguíneo da vítima. Depois que a família da nigeriana o confrontou, o pastor confessou que a dopara para interromper sua gravidez.


A família da vítima obrigou o pastor a se casar com o cadáver de Chioma antes do funeral. Após o casamento, a nigeriana foi enterrada em 31 de agosto, em Umuahia (Nigéria). O nome de Chioma no seu obituário também foi alterado para incluir o sobrenome do pastor como um sinal de que eles eram marido e mulher.


Após a "punição", Sunday voltou a celebrar cultos. 

Nenhum comentário:

Post Top Ad

Anuncie conosco