Jovem morta por namorado pediu ajuda a porteiro minutos antes de ser baleada: 'O Luiz vai me matar'

 

A jovem de 21 anos, que foi assassinada a tiros na madrugada do último domingo (17), em um apartamento de luxo no bairro Rio Vermelho, em Salvador, chegou a pedir ajuda ao porteiro do prédio, minutos antes de ser baleada. "Ela acessou o elevador e, ensanguentada, subiu até a portaria afirmado: 'O Luis quer me matar", disse em depoimento.

O porteiro ainda afirmou que acalmou a vítima, pedindo que ela ficasse na guarita. O que foi feito, já que a mesma permaneceu no local por cerca de 15 minutos. Após esse intervalo, Késia teria voltado pro apartamento e, instantes depois, foi ouvido um barulho de tiro. "O Sr. Luis foi até a portaria, bateu no vidro pedindo auxílio e depois trouxe a Késia baleada. Ele arrastou o corpo até a portaria e deixou lá até pegar o carro. Em seguida, registou a ocorrência na ata do condomínio e também ligou para a polícia", relatou.

Questionado, o depoente também informou que as brigas entre o casal eram frequentes, tanto que o suspeito já havia pedido que a entrada de Késia no condomínio fosse proibida. "Ele pedia pra proibir, mas depois trazia ela para o imóvel", ressaltou.

Relembre o caso:

O advogado criminalista, Luiz Meira, foi preso em flagrante na madrugada do último domingo (17) após assassinar a namorada, Kesia Stefany da Silva Ribeiro, de 21 anos, na Rua Barro Vermelho, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. Os dois tinham um relacionamento e ele atirou na cabeça dela com uma pistola 9mm. A motivação ainda não foi esclarecida.

A vítima chegou a ser socorrida pelo advogado para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas chegou sem vida à unidade de saúde. O suspeito fugiu em seguida, mas foi localizado cerca de uma hora após o homicídio.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem