Últimas Notícias


'Stalking': Policial é presa pela 3ª vez, após suspeita de esfaquear ex


A agente da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) Rafaela Motta Ferreira, de 40 anos, investigada por praticar stalking (perseguição, na tradução para o português) contra o ex-namorado, de 39 anos, em Brasília, foi detida ontem após furar os pneus do carro dele e o esfaqueá-lo.

Essa é a terceira vez que a policial é levada à delegacia por perseguir a vítima. Ambos se conheceram em 2018 por meio de um aplicativo de namoro, mas travam desentendimentos desde agosto após o fim do relacionamento.

Ao UOL, a defesa da servidora pública nega as acusações e diz que Rafaela tentou se defender de agressões do ex-companheiro.

De acordo com o boletim de ocorrências, o caso ocorreu na madrugada de ontem, em frente à casa do ex, na Asa Norte. Rafaela teria ido à residência e furado os pneus do carro dele. As agressões entre os dois teriam se iniciado após o homem verificar o que estava acontecendo ao notar algo estranho em frente ao imóvel.

Ainda segundo o documento, durante as agressões, Rafaela esfaqueou sem gravidade o ex, que consegui contê-la até a chegada a PM (Polícia Militar). A mulher foi conduzida à 2ª Delegacia de Polícia Civil, mas acabou liberada após assinatura de um termo circunstanciado por lesão corporal.

Gabriela Duarte, advogada que defende Rafaela, disse que a policial se apresentou por vontade própria à delegacia. Ela informou que a sua cliente apenas tentou se defender de agressões sofridas pelo ex e que também sofreu ferimentos.

"Infelizmente, como os fatos ainda estão em investigação, não posso dar maiores detalhes. Posso adiantar que o ex dela a jogou ao chão. Nisso, ela tentou escapar, pois ele a estava sufocando e com isso acabou ficando lesionado. Minha cliente foi ao IML [Instituto Médico Legal] e também está lesionada em virtude da queda", destacou.

A advogada ainda negou o relato do ex à Polícia Civil de que Rafaela estaria descumprindo uma medida protetiva que se aproximar dele. "Ela não descumpriu medida alguma, tanto que a delegacia não a autuou por esse suposto fato", garante.

A defesa não soube explicar as motivações que fizeram Rafaela ir até a casa do ex. "Isso é objeto de uma apuração ainda não concluída", afirma.

Segundo a Polícia Civil, Rafaela responde processos administrativos e está afastada por licença médica. A corporação ainda frisou que a agente está sem armas da instituição.



Agente é reincidente

A confusão de ontem é a terceira vez que envolve a agente Rafaela Motta e seu ex-namorado. Ele diz que a mulher não aceita o fim do namoro.

A primeira ocorreu em 3 de agosto após invadir a Corregedoria da corporação no DPE (Departamento de Polícia Especializada) e tentar impedir que o ex-namorado prestasse depoimento após acusa-la de stalking. Ela teria ligado para o ex 98 vezes em um único dia e o mantido em cárcere privado depois do fim do relacionamento.

Já a outra prisão ocorreu em 6 de agosto, também por perseguir o ex-namorado. Ambos os casos são investigados pela Corregedoria da Polícia Civil do Distrito Federal.

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem