Morre a cantora gospel e pastora Ludmila Ferber, aos 56 anos

A ex-integrante do grupo Koinonya lutava contra um câncer desde 2018


A cantora gospel Ludmila Ferber morreu na noite dessa terça-feira (26), aos 56 anos. A ex-integrante do grupo Koinonya lutava contra um câncer no pulmão, com metástases no fígado e nos ossos desde 2018.


Ferber teria iniciado o quinto tratamento contra a doença em um hospital de São Paulo na semana passada. Antes disso, em março de 2021, ela revelou, através das redes sociais, que teve um aumento de células cancerígenas no fígado e precisou suspender a quimioterapia para iniciar um novo tratamento.


"Hoje começo um novo processo no caminho do milagre. Por conta do aumento das células cancerígenas no fígado, precisei suspender totalmente a quimioterapia que estava tomando já há dois anos, e buscar um novo tratamento. Enfim, para a glória de Deus, eis me aqui neste primeiro dia de uma nova experiência lutando contra o câncer, e crendo e declarando a vitória sobre este gigante! Afinal, Deus vem operando maravilhas em todos os dias desta jornada", contou na ocasião.


O último post da pastora em seu Instagram foi ainda esta semana, na segunda (24), quando ela citou um trecho de sua canção Buscar Tua Face é Preciso.


“‘Quando tudo parece estranho ao redor / Buscar tua face é preciso, Deus / Quando a gente não sabe o que está ocorrendo / Buscar tua face é preciso, Deus”, dizia trecho da canção na legenda.


Carreira

Ludmila Ferber integrou o grupo Koinonya, banda cristã brasileira, formada em 1988 na cidade de Goiânia. Dos quinze discos gravados, Ferber esteve em 8 deles. Em 1996, ela partiu para a carreira solo e lançou Marcas, seu primeiro álbum.


Lançou 12 discos de estúdio depois, e o último foi gravado em 2020, "Um Novo Começo". Ela ainda tem nove álbuns ao vivo e um disco dedicado a canções infantis, Meu Amigão do Peito.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem