Paulinha Abelha está na 'escala de coma mais grave que existe', diz médico

Situação não é irreversível; médicos tentam descobrir ainda o que causou problema


A cantora Paulinha Abelha, da Calcinha Preta, segue internada em coma na UTI de um hospital particular de Aracaju. Os médicos que cuidam da cantora deram uma coletiva nesta terça-feira (22) diretamente da unidade médica e afirmaram que o mais preocupante no quadro é a parte neurológica, já que os demais problemas foram estabilizados.

Paulinha está em escala de Glasgow 3, considerado mais mais grave do coma. Uma pessoa saudável tem a escala Glasgow 15. Participaram da coletiva o intensivista André Luis Veiga, o diretor técnica do Hospital Primavera, Ricardo Leite, e o neurologista Marcos Aurélio Alves.

    "Coma é uma condição reversível. Em nenhum momento falamos em morte cerebral. Existe o coma profundo, que traduz uma injúria encefálica severa, mas não existe o conceito de irreversibilidade ainda", explica Marcos Aurélio, segundo o Uol.

Os exames não mostraram qualquer lesão anterior relacionada a substâncias com função estética, como remédios para emagrecer. Todas as formulações tomadas por Paulinha tinham supervisão médica. "Quando falamos em toxicidade, ele é um agressor. Mas não é necessariamente uma toxina. Podemos estar diante de algum medicamento prolongado", acrescenta Ricardo Leite. Os médicos negaram que Paulinha esteja com uma bactéria no cérebro.

Os médicos também falaram do problema renal da cantora. "A gente trabalha com proximidade de uma lesão renal aguda. Muitos pacientes se recuperam em situações assim, outros podem desenvolver um caso mais crônico e necessitar de terapia renal substituída. Nesse momento, substituímos pela hemodiálise", disse Leite.

Paulinha está internada desde o dia 11 de fevereiro, depois de passar mal durante a turnê em São Paulo.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem