Após aumento da gasolina na Bahia, sindicato aciona no Cade empresa dona da Refinaria de Mataripe por possível abuso de poder econômico


Após o novo reajuste no preço do litro do combustível neste sábado (5/3), na Bahia, o Sindicombustíveis protocolou uma representação ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) contra a Acelen, dona da Refinaria Mataripe, antiga Refinaria Landulpho Alves (Rlam). Com o reajuste promovido pela empresa, a gasolina chegou a mais de R$ 8 em pontos da Bahia.


Para a entidade, a Acelen pratica preços “substancialmente maiores do que os que ela própria pratica para venda a outros estados, como Alagoas, Maranhão e até mesmo Amazonas”. Isto se configuraria, na visão do grupo, um possível abuso de poder econômico.



Presidente do sindicato, Walter Tannus criticou a empresa. “A Acelen não vem praticando o congelamento do ICMS, determinado pelo Governo do Estado da Bahia, e o imposto representa hoje um custo de R$ 2,2442 por litro da gasolina C”; de R$ 1,3462 no litro do biodiesel S10, e de R$ 1,3196 no litro do biodiesel S500”, disse, em nota publicada na manhã deste sábado no Instagram oficial do Sindicombustíveis. 


Segundo o Walter Tannus Freitas, as diferenças em relação à gasolina A, que em fevereiro era de R$ 0,30 o litro em relação às demais refinaria, com este novo aumento passa a ser acima de R$ 0,95. No caso do diesel S10, que era de R$ 0,28, hoje, está em R$ 1,14 o litro. 


“O governo e a sociedade esperavam que, com a privatização, os preços caíssem. Mas, no caso da Bahia, tem se verificado justamente o contrário. O sindicato entende que possa haver abuso de poder econômico da Acelen, que atua como monopolista no mercado de refino na Bahia, e vem impondo às distribuidoras preços maiores que os praticados pelas demais refinarias brasileiras”, acrescentou.


O preço varia. Nas redes sociais, baianos compartilham a indignação. Na maioria dos postos em Salvador, a gasolina comum custa R$ 7,99. A aditivada chega a R$ 8,30. No final da última sexta-feira (4/3), os postos cobravam entre R$ 6,93 e R$ 7,19.


O reajuste foi registrado em diferentes pontos do estado. Em Itabuna, a gasolina está ainda mais cara: R$ 8,30. Em Vitória da Conquista, consumidores constataram que o preço é de R$ 8,25, em média.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem