Filme de Danilo Gentili é acusado de incentivar pedofilia; ministro da Justiça diz que vai tomar providências

Quase cinco anos depois de ter sido lançado, o filme “Como se Tornar o Pior Aluno da Escola”, de 2017, e baseado em um livro de mesmo nome, de 2009, escrito por Danilo Gentili, foi envolvido em uma polêmica. Disponível na Netflix, a produção do humorista tem sido acusada, por apoiadores do governo Bolsonaro, de incentivo à pedofilia.



No entanto, as acusações vão além das redes sociais. O ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Anderson Torres, garantiu que tomará providências. Em uma publicação no Twitter, neste domingo (13/3), ele disse que o longa tem “detalhes asquerosos”.


“Assim que tomei conhecimento de detalhes asquerosos do filme ‘Como se Tornar o Pior Aluno da Escola’, atualmente em exibição na Netflix Brasil, determinei imediatamente que os vários setores do Ministério adotem as providências cabíveis para o caso”, postou.

 


Diante da confusão, que ganhou grande repercussão na web, o apresentador decidiu se manifestar. Também através das redes sociais, Gentili debochou das críticas dos bolsonaristas. “O maior orgulho que tenho na minha carreira é que consegui desagradar com a mesma intensidade tanto petista quanto bolsonarista”, publicou no Twitter. 

 



Em seguida, também pontuou o posicionamento em relação ao filme. “Os chiliques, o falso moralismo e o patrulhamento: veio forte contra mim dos dois lados. Nenhum comediante desagradou tanto quanto eu”.


O filme
O filme conta a história de um jovem que encontra um diário diferente, que ensina como provocar o caos na escola onde estuda. Junto com um amigo, ele apronta várias pegadinhas no ambiente estudantil.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem