'Me deram a oportunidade de ser livre', diz ex-morador da Cracolândia, em SP

Maxwell da Silva foi entrevistado por Caco Barcellos em 2010, quando usava drogas e não havia feito a transição de gênero. Hoje, está sóbrio e trabalha num projeto que ajuda dependentes químicos.

'Me deram a oportunidade de ser livre', diz ex-morador da Cracolândia, em SP 

 

O Profissão Repórter desta terça-feira (3) mostrou as consequências da mudança da Cracolândia e conversou com dependentes químicos entrevistados pelo programa nesses últimos 15 anos.

Caco Barcellos reencontrou com Maxwell da Silva, homem transgênero que mudou de vida nos últimos anos. A equipe acompanhou, em 2010, a internação de Marina - nome de Max antes da transição - e a alegria do pai Oseas em ver a filha sair do fluxo.

 

Max e Caco Barcellos se encontraram várias vezes durante os últimos anos. — Foto: Reprodução/TV Globo

Max e Caco Barcellos se encontraram várias vezes durante os últimos anos. — Foto: Reprodução/TV Globo 

 

"Eu estou até sem palavras, sabe? Estou com vontade de chorar de alegria de vê-la totalmente recuperada", disse o senhor Oseas na época.

Onze anos depois, Max está sóbrio e trabalha como educador social num projeto em Campinas. Ele ajuda outras pessoas que têm problemas com drogas. 

 

 Max trabalha com outros dependentes químicos em Campinas, SP. — Foto: Reprodução/TV Globo

Max trabalha com outros dependentes químicos em Campinas, SP. — Foto: Reprodução/TV Globo 

 

 

Durante o reencontro com Caco, Max se emocionou e relembrou que na última vez que eles se viram foi durante uma recaída. Ele contou que a transição de gênero começou há quatro anos.

"Antes eu estava no fluxo, e agora estou no meu campo de trabalho. Aqui me deram a oportunidade de ser o Max, de ser livre".

O senhor Oseas morreu em novembro de 2021, em decorrência de um câncer no pulmão. "Quando estava descendo o caixão eu falei: 'Pai, vou ficar limpo para você. Eu não vou olhar para trás nunca mais", relembrou Max.

 

Max mora com a mãe e a sobrinha em Campinas, SP. — Foto: Reprodução/TV Globo

Max mora com a mãe e a sobrinha em Campinas, SP. — Foto: Reprodução/TV Globo 

 

Com o dinheiro do trabalho, ele mora com a mãe e a sobrinha Karina da Silva, ex-usuária de crack. Ela conta que o tio deu muita força e é um exemplo para ela.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem