Delegada liga para mulher estuprada por médico anestesista: 'chorou'

O médico anestesista foi filmado estuprando a paciente durante um parto

 


 

A mulher que aparece nas imagens sendo estuprada pelo médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, de 31 anos, enquanto dava à luz a uma criança, recebeu a ligação na quarta-feira (13) da delegada que investiga o caso. Ao falar com Bárbara Lomba, que está à frente das investigações, a paciente foi às lágrimas. As informações da reação da vítima foram divulgadas pelo jornal Folha de S. Paulo.

Do outro lado da linha, a delegada, que também não conteve a emoção, quis assegurar à vítima que a identidade dela será preservada, e que fará o que estiver ao seu alcance para concluir a investigação e comprovar o crime.

"Foi [uma conversa] emocionante, ela está muito abalada psicologicamente, chorou comigo no telefone, mas disse que tem condições de falar, que vai prestar declarações”, disse Lomba à Folha.

 


 

Depoimento

Agora, a Polícia aguarda o depoimento da vítima, que deve ser ouvida na companhia do marido. O homem já afirmou que teve que deixar a sala de parto após a cesariana da esposa a pedido do médico anestesista.

Giovanni Quintella Bezerra foi preso em flagrante por estuprar a mulher grávida, que foi sedada durante o procedimento médico. O crime ocorreu no Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti, no Rio de Janeiro. Colegas de profissão dele, já desconfiados das atitudes suspeitas durante os partos, esconderam um aparelho telefônico para gravar a violência sexual.

O médico anestesista já havia chamado atenção da equipe do hospital porque, segundo relatos dos profissionais, ele aplicava muito sedativo nas gestantes e se movia de uma "maneira estranha" durante os procedimentos, além de sempre se preocupar em dificultar a visão da parte superior do corpo das vítimas.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem