Bahia: rodovias federais registram redução de 43% no número de mortes no período do Natal

Foto: Divulgação

Polícia Rodoviária Federal (PRF) finalizou, às 23h59 de domingo (25), Operação Natal realizada nas rodovias federais que cortam a Bahia

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) finalizou, às 23h59 de domingo (25), a Operação Natal realizada nas rodovias federais que cortam a Bahia. De acordo com o órgão, houve uma redução de 43% no número de mortes no período em rodovias federais na Bahia

Durante as atividades de fiscalização e policiamento, a PRF na Bahia contou com reforço nas equipes e concentrou seu efetivo ao longo dos principais pontos de acidentalidade e incidência de práticas criminosas.

A Operação Natal está inserida entre as ações do Programa Rodovida, tendo como foco a redução da violência nesta época do ano, com aumento do fluxo de veículos e de passageiros, em função das férias escolares e das festividades de Natal, Réveillon e Carnaval.

Acidentes, feridos e óbitos

Em relação ao mesmo período do ano anterior, a PRF na Bahia registrou uma redução de 43% no número de óbitos, 7 em 2021 contra 4 este ano. Este ano foram registrados 36 acidentes nas rodovias que cortam o estado. Destes, 7 foram acidentes graves, o que representa uma redução de 46% quando comparados a 2021. Do total de acidentes registrados, 12 pessoas ficaram feridas, número 79% menor em relação ao mesmo período do ano passado, quando 58 pessoas ficaram feridas.

A queda nos números reflete os esforços das ações da PRF de educação para o trânsito e de combate às infrações que mais causam acidentes graves ou potencializam a gravidade de lesões, como ultrapassagens indevidas, condução sob efeito de bebida alcoólica e o não uso dos equipamentos de segurança.

Operação Natal2022 – Período: 22 a 25/122021 – Período: 23 a 26/12
Acidentes totais3635
Acidentes graves713
Feridos1258
Óbitos47

Segurança viária

Durante a operação Natal, 2.831 pessoas foram atingidas com orientações sobre procedimento de segurança no trânsito.

Apesar de todo o trabalho educativo, muitas pessoas se arriscaram e colocaram a vida de outras pessoas também em risco. Nestes quatro dias de atividades a PRF BA emitiu 1.905 notificações referentes a infrações diversas.

Foram fiscalizados um total de 3.506 veículos e 6.324 pessoas no período da operação, nos cerca de oito mil quilômetros de rodovias federais da circunscrição da PRF na Bahia.

A pressa também fez muita gente ultrapassar de forma proibida. De 22/12 a 25/12 foram 513 autos extraídos desse tipo de infração, representando mais de cinco flagrantes por hora de operação. Esse tipo de ultrapassagem é responsável pela maioria dos acidentes do tipo colisão frontal, onde o motorista não consegue efetuar em tempo a manobra de ultrapassagem ou força a ultrapassagem, colidindo frontalmente com o veículo que está trafegando no sentido contrário.

Para evitar a violência no trânsito, os policiais intensificaram a fiscalização preventiva e no que se refere aos testes de alcoolemia, foram realizados 2.693 testes com etilômetro (aparelho utilizado para aferir a quantidade de álcool ingerido pelo condutor, conhecido popularmente como bafômetro). Apesar da ampla divulgação para que o condutor não misture bebida e direção, foram flagrados 44 motoristas sob efeito de álcool, um aumento de quase 100%, em comparação com 2021.

O uso dos equipamentos de segurança obrigatórios também estiveram no foco das fiscalizações. A PRF também emitiu 35 autos de infração para motociclistas ou passageiro sem capacete. Obrigatório não só para o motorista, mas também para todos os ocupantes do veículo, o cinto de segurança, ou melhor, o não uso dele gerou 117 autuações. Quando o alvo das fiscalizações foi a criança sem cadeirinha, 34 autos foram emitidos.

Vale ressaltar que o fato de o motociclista não usar o capacete ou pessoas não usarem cinto de segurança em automóveis é determinante na gravidade dos acidentes.

No esforço da PRF para reduzir os riscos de acidente, foram recolhidos 141 veículos com problemas em equipamentos obrigatórios, documentação e mau estado de conservação.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.