"Eu comi", revela Robinho para amigo durante investigações de estupro


Escutas feitas em 2014, um ano após o crime, foram autorizadas pela justiça italiana

Novos áudios de Robinho, que foi grampeado com autorização da justiça italiana, foram divulgados pelo portal UOL Esporte nesta sexta-feira, 30. Condenado por estupro na Itália, junto com o amigo Ricardo Falco, a nove anos de prisão, o ex-jogador admitiu que fez sexo com penetração com a vítima.

“É, eu comi, pô! Porque ela quis. Aonde eu forcei a mina? Eu comi a mina, ela fez chupeta pra mim e depois saí fora. Os cara continuaram lá”, disse Robinho para Falco.

Na conversa, eles discutem os depoimentos que deram à polícia. Apesar de Robinho afirmar que a vítima “quis”, a justiça decidiu que houve estupro porque em outros momentos a dupla admitiu que ela estava embriagada.

O ex-jogador ainda prometeu um emprego em uma prefeitura para o amigo, que estava desempregado. “Se eu for voltar pro Brasil, eu te coloco pra trabalhar na prefeitura lá que é uma teta. Igual os caras... os caras ganham 2 conto”, disse Robinho a Falco.

Os áudios divulgados também mostraram o medo da dupla com um exame de DNA feito no vestido que a vítima usava no dia do crime. Eles tinham receio que o teste encontrasse seus espermas na roupa.

“Eu também fiquei com medo disso aí", conta Robinho. "O próprio advogado falou: 'Puta?' Eu falei: 'Se eu não soubesse que tivesse essa porra desse vestido aí?’”

Robinho foi grampeado em janeiro de 2014, um ano após o crime, até abril do mesmo ano. As gravações mostram como os seis brasileiros envolvidos no caso mudaram suas versões ao longo de meses.

Postar um comentário

0 Comentários