BEREU NEWS

“PERDOAI-VOS”: Pesquisa diz que 40% das vítimas de agressões são evangelicas


000Foto: Reprodução | Internet

Uma pesquisa realizada durante o mês de novembro deste ano, pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, revelou dados assustadores. De acordo com relatos colhidos pela pesquisa, cerca de 40% das mulheres que sofrem violência doméstica no Brasil são evangélicas.
Pesquisadores colheram depoimentos de mulheres que já sofreram agressões físicas ou verbais de seus companheiros. E constataram que quase a maioria dos agressores são “crentes”. A população feminina no Brasil, já ultrapassou 103 milhões de mulheres, conforme Estudos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
EM NOME DE DEUS
Segundo a pesquisa, as vítimas se sentem coagidas por seus lideres religiosos e não denunciam seus maridos. “É propagado dentro das igrejas que as mulheres devem submissão a seus esposos, eles são ‘o cabeça’ e, por isso a ultima palavra será a dele” , disse uma evangélica que não quis ser identificada.
A dona de casa Maria Francisca,  de 56 anos, foi vítima de agressões durante muitos anos. Segundo ela, seu marido ocupava um cargo na igreja e por causa disto ela omitiu as violências que passou.
“Se seu marido a agrediu, o que você deve fazer é lutar contra as ‘investidas do demônio’. Essa é a orientação que o líder religioso ensina aos fies da igreja”, denunciou Maria Francisca.
Para Camila Froes, de 27 anos, o hábito de não denunciar é resultante a uma lavagem cerebral. Segundo ela, essa cegueira espiritual faz com que as vítimas se calem diante dos males vividos por elas. “Cristo veio ao mundo para pregar o amor e, em nenhuma das suas citações bíblicas ele incentivou o ódio” desabafou a jovem que foi ex-mulher pastor.
O vídeo abaixo mostra um pastor que foi preso por espancar a esposa, confira:
Já, o pastor Ubiraçy Tavares acredita que, é possível que a existência dessas condutas dentro das igrejas, “40% é um número muito elevado. Quase a metade das vítimas que sofreram agressões são ‘crentes’? Meu Deus, precisamos reverter esse quadro”, disse.
A LEI A FAVOR DA MULHER
A delegada Heleneci Souza Nascimento, titular da DEAM/Brotas, explicou que não tem esses dados, mas que toda mulher deve procurar uma unidade policial e realizar o Boletim de Ocorrência (B.O), em caso de qualquer tipo de violência.
“A vítima pode dar queixa e realizar os procedimentos de exames de corpo de delito em qualquer delegacia, ressaltou a delegada. A titular acrescentou ainda que, as DEAMs não funcionam 24h, “as vítimas fazem a ocorrência após isso, elas devem procurar a delegacia especializada em violência doméstica”, acrescentou a delegada.
COMO DENUNCIAR A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER
Através do Disque 180, qualquer pessoa pode acionar a polícia, neste canal de atendimento o usuário receberá apoio e orientações. A denúncia é direconada para uma Delegacia Especial de Atendimento a Mulher (DEAM), conforme o estado.
A DEAM fica responsável para encaminhar a vítima para realização de exames de corpo delito e dará o acolhimento e abrigo sigiloso se houver necessidade, conforme determinado na Lei Maria da Penha.
O município que não tem uma unidade da DEAM a vítima pode procurar qualquer delegacia comum. Lá ela deve ter prioridade no atendimento. Se for uma tentativa de homicídio, a vítima também pode ligar para 190.

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade 2

BEREU NEWS
BEREU NEWS