Médico anestesista que estuprou paciente durante parto é denunciado pelo MP; idenização será no mínimo 10 salários mínimo

 

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça Criminal de São João de Meriti, denunciou nesta sexta-feira (15/7) o médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra pelo crime de estupro de vulnerável. De acordo com a denúncia, “os crimes foram cometidos contra a mulher grávida e com violação do dever inerente à profissão de médico anestesiologista”.

A vítima é uma mulher que havia acabado de dar à luz, no centro cirúrgico do Hospital da Mulher Heloneida Studart, na tarde de 10 de julho. Segundo o portal Metrópoles, o MP-RJ requereu sigilo no processo, para que a vítima não fosse mais exposta, além de indenização em favor da vítima que não pode ser menor do que 10 salários mínimos, considerando os prejuízos de ordem moral causados em decorrência da conduta do médico.

 


 

O pedido diz ainda que “agindo de forma livre e consciente, com vontade de satisfazer a sua lascívia, praticou atos libidinosos diversos da conjunção carnal com a vítima, parturiente impossibilitada de oferecer resistência em razão da sedação anestésica ministrada“. Para o MP, o médico abusou da relação de confiança que a vítima mantinha com ele, posto que, se valendo da condição de estesista, aproveitou-se da autoridade/poder que exercia sobre ela, ao aplicar-lhe substância de efeito sedativo.

Giovanni está preso em flagrante desde segunda-feira (11/7), quando aconteceu o crime filmado. De acordo com a delegada Barbara Lomba, da Delegacia de Atendimento a Mulher de São João de Meriti (Deam), a Polícia Civil investiga 30 possíveis casos de estupro de pacientes do médico anestesista.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem