BEREU NEWS

Caipirinha foi criada como remédio brasileiro para a gripe espanhola; sem eficácia, acabou virando bebida


Algumas coisas podem podem surgir mesmo durante uma pandemia. Antes do coronavírus, o mais perto que tivemos disso no Brasil foi a gripe espanhola, que infectou centenas de Brasileiros, especialmente nos estados do Rio de Janeiro. Na tentativa de curar a doença, foi criada a caipirinha. 

Pelo menos é o que consta no livro “A bailarina da morte - A gripe espanhola no Brasil”, recém-lançado pela Companhia das Letras, de autoria de  Lilia Schwarcz e Heloisa Starling decidiram pesquisar a pandemia que atingiu o Brasil (e até matou um presidente) no início do século XX. O livro foi enviado para a redação do jornal O Globo, que revelou a curiosidade.

Na época, a mistura de aguardente, limão e mel nasceu como um dos muitos remédios improvisados na tentativa de curar aqueles que sofriam da doença em São Paulo. Como sua eficácia não foi comprovada, a caipirinha acabou saindo do território paulista e difundida por todo o Brasil.

No Rio de Janeiro, a canja de galinha foi usada como remédio. Também não curou ninguém, mas entrou no imaginário como comida para tratar doentes.

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade 2