Anestesista esperou marido de grávida deixar sala de parto para cometer estupro

Giovanni Quintella Bezerra foi filmado cometendo o estupro por funcionários do hospital


Reprodução/TV Globo


A direção do Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti, informou nesta segunda-feira (11) que o médico anestesista preso em flagrante por estupro contra uma paciente em cesariana esperou o marido da vítima deixar o centro cirúrgico para cometer o crime.

Durante a madrugada, o médico Giovanni Quintella Bezerra abusou da uma paciente enquanto ela estava dopada e dava a luz à criança.


A prisão foi feita após funcionários da unidade de saúde filmarem o anestesista colocando o pênis na boca da paciente. O vídeo serviu de prova para a prisão em flagrante de Giovanni, que foi indiciado por estupro de vulnerável, cuja pena varia de 8 a 15 anos de reclusão.



A direção do hospital disse também que vai abrir uma sindicância interna para apurar as denúncias de estupro durante cesáreas realizadas na unidade. O Conselho de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) também foi notificado.

Em nota, o hospital disse que o médico não é servidor do estado. Giovanni tem título de especialista em anestesiologia, CRM regular e prestava serviço há seis meses como pessoa jurídica para os hospitais estaduais da Mãe, da Mulher e Getúlio Vargas. As unidades de saúde estão em contato com a Polícia Civil para colaborar com as investigações.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem